2Cr - 6.7 - Também Davi meu pai teve no seu coração o edificar uma casa ao nome do SENHOR Deus de Israel.


Você está aqui: Home › Matérias › Educação Cristã
28/06/2012
Romanos Lições 6 a 8

Lição 6

Abraão foi Justificado pela fé

Romanos 4

 

1. Quais são os temas que você encontra nessa passagem?

Resposta: O TESTEMUNHO DAS ESCRITURAS ACERCA DA JUSTIFICAÇÃO:

A) aponta para fé, como meio de recebê-la

B) é de que ela já estava disponível pela fé antes que a circuncisão fosse instituída;

C) já estava disponível por meio da promessa, antes que a Lei fosse promulgada

D) é que a promessa que a garante é fidedigna, uma vez que se baseia no poder de Deus doador da vida

 

2. Segundo Paulo, de que modo os servos de Deus do AT foram justificados, tais como Abraão e Davi?

Resposta: Todo homem do AT ou de agora, é justificado SOMENTE pela fé (v.4-5). Se a salvação fosse segundo o esforço próprio de cada um Deus relacionaria a salvação como uma dívida. Porém a Salvação é sempre um dom concedido pela graça de Deus de maneira soberana.

 

2B.Como sabemos isso?

Resposta: Se a salvação fosse uma obra meritória Deus seria um eterno devedor; Os homens não deveriam glorificar a Deus, mas a si mesmos (v.2);

 

3. Quais são algumas das diferenças entre a justificação pela fé e por obras (v.4-8)?

Resposta:

 

 

OBRAS

GLÓRIA DIVINA

GLÓRIA HUMANA

DEUS MISERICORDIOSO

DEUS DEVEDOR

GARANTIA INDISSOLÚVEL

GARANTIA HUMANA

GRAÇA IMERECIDA

DÍVIDA PAGA

DEUS SOLUCIONA

HOMEM SOLUCIONA

 

 

4. É fácil pensar que Deus nos aceita apenas quando somos bons. Quando pensamos assim, como os exemplos de Abraão e Davi nos são esperança?

Resposta: Tanto Davi quanto Abraão, fizeram coisas más diante de Deus! Mas a mesma graça que os alcançou pode me alcançar! Basta eu ter um coração ensinável diante de Deus.

 

5. Algumas pessoas nos dias de Paulo ensinavam que a menos que, uma pessoa fosse circuncidada, ela não teria esperança de ser salva (Atos15.1). Como o que ocorreu com Abraão refuta essa ideia (v.9-12)?

Resposta: A cronologia de Gênesis prova o argumento de Paulo. Abraão tinha 86 anos quando Ismael nasceu (Gn16.16) e tinha 99 quando foi circuncidado. Entretanto Deus declarou justo mesmo antes de Ismael ter sido concebido (Gn15.6; 16.2-4), no mínimo, 14 anos antes que ele fosse circuncidado.

 

6. Hoje, quais são as falsas ideias que as pessoas têm a respeito do que é necessário para a salvação?

Respostas: Muitas pessoas associam a salvação a algum tipo de obra, rito religioso, como batismo infantil, bastimo, ceia, dízimo, participação em culto.

 

7. Deus prometeu que Abraão e sua descendência herdariam o mundo (v.13). Quem são os descendentes de Abraão (v.13-17)?

Resposta: Paulo afirma que a “semente” refere-se, especificamente, a Cristo e que essa promessa constitui verdadeiramente o evangelho (Gl3.8, 16; Jo 8.56). Todos os cristãos por estarem em Cristo tornam-se herdeiros da promessa (Gl 3.29; 1Co21-23)

 

7B. Que diferença faz se a promessa de Abraão e sua descendência é cumprida através da Lei ou da graça?

Resposta: A diferença dela ter ou não valia. Ou seja, se somente os que cumprem perfeitamente a Lei – o que é impossível – recebem a promessa, a fé não tem valor. Cancela-se a promessa, fazer uma promessa dependente de uma condição impossível a torna nula.

 

8. Paulo afirma que o Deus em quem Abraão creu “da vida aos mortos e chama à existência coisas que não existem, como se existissem” (v.17). Como essa declaração se relaciona à situação de Abraão descrita nos versículos 18-22?

Resposta: Abraão estava sem “vitalidade”, mas o Deus da ressurreição deu a ele e a Sara o vigor que precisavam.

 

9. Como a vida de Abraão serve de exemplo para a nossa aflitiva situação como não cristãos e qual é a solução providenciada por Deus em Jesus Cristo (v.18-25)?

Resposta: A Justificação resulta do poder divino e não de esforços humanos. O não Cristão precisa crer primeiramente, para depois ver a glória de Deus

 

AS PERGUNTAS 10 E 11 SÃO DE CUNHO PESSOAL! LEIA E REFLITA

 

 

Lição 7

Razões para se gloriar

Romanos 5

 

1. Nos versículos 2-11, quais são as razões citadas por Paulo para nos gloriar?

Resposta: Paz com Deus (v.1); Permanência na graça (v.2a); Sua esperança da glória (vs.2b-5a); o fato de terem recebido o amor divino (vs 5b-8); a certeza do livramento da ira divina (vs.9-10); sua alegria no Senhor (v.11)

 

2. Como a fé em Jesus Cristo mudou nosso relacionamento com Deus (v.1 e 2)?

Resposta: A fé é o meio da nossa Justificação, através dela há a anulação da culpa. Não é a ira de Deus que me alcança mas seu perdão.

 

3. O que significa a expressão: “e nos gloriamos na esperança da glória de Deus” (v.2)?

Resposta: O destino final do cristão é compartilhar de toda a glória de Deus (8.29-30; Jo17.22; 2 Co 3.18; Fl3.20; 1 Jo3.1-2) e que essa esperança se realizará porque o próprio Cristo nos assegura disso (1 Tm 1.1). Sem as promessas claras e certas da palavra de Deus o cristão não teria base para ter esperança (15.4; Sl119.81; Ef2.2)

 

3B. Como isso tem sido uma fonte de glória para você?

Resposta: PESSOAL

 

4. Como o sofrimento por causa de Cristo produz as mudanças no caráter mencionadas nos versículos 3 e 4?

Resposta: Nós temos que nos gloriar no sofrimento, não porque somos masoquista. Mas, pelo fato, de que Deus usa o sofrimento para moldar o nosso caráter.

 

5. Como pode o conhecimento desse processo ajudar-nos a nos gloriar em nossos sofrimentos?

Resposta: Porque sei que isso faz parte do plano de Deus. Para que eu me pareça mais com Cristo, é necessário tirar de mim hábitos que não agradam o Criador! Saber que dói para uma glória futura, não deixa de doer, mas dá forças para resistir a dor!

 

6. De quais formas os versículos 5-8 enfatizam o amor que Deus tem por nós?

Respostas: Derramando o amor de Deus em nosso coração (v.5); quando fracos Deus nos substituiu (v.6); O amor de Deus não é baseado em quão amáveis nós somos, e sim, na fidelidade do seu próprio caráter. A ação de Deus aconteceu quando éramos totalmente indesejáveis.

 

7. Como os versículos 9 e 10 asseguram que Deus nos aceita completamente em Cristo?

Resposta: Quando éramos inimigos de Deus, Cristo foi capaz, mediante a sua morte de nos reconciliar com Deus. Certamente, agora, que somos filhos de Deus, o Salvador pode nos guardar pelo seu vivo poder.

 

8. Por que o abundante amor de Deus e o fato de que ele nos aceita deveria fazer com que nos gloriássemos (v.11)?

Resposta: Porque isso é suficiente! Um amor imensurável por um pecador. Quando Deus nos aceita, Ele não fica fazendo exigências de figura exterior, mas Ele nos aceita como somos e nos molda a sermos mais parecidos com Cristo.

 

9. Leia os versículos 12-21. Como Adão Cristo são semelhantes (v.12, 18 e 19)?

Resposta: Teologia da Recapitulação.

Eles são cabeças da humanidade. A cabeça da humanidade é Adão e o propósito é pôr outra cabeça no lugar – Cristo. Hoje a humanidade está sob 2 cabeças, alguns estão sob Cristo outros sob Adão. Teologia proposta por Irineu de Lião (maior teólogo do séc. II)

 

10. Como a dádiva de Cristo é diferente da transgressão de Adão?

Resposta: Eles foram diferentes quanto a Eficácia (v.15); Extensão (v.16); Poder (v.17); Essência (vs.18,19) e Energia (vs.20-21).

 

 

 

Adão

Cristo

EFICÁCIA

MORREM

VIVEM

EXTENSÃO

CONDENAÇÃO

JUSTIFICAÇÃO

PODER

MORTE ETERNA

VIDA ETERNA

ESSÊNCIA

CONDENADOS

JUSTOS

ENERGIA

PECADO REINOU PARA MORTE

GRAÇA REINOU PARA JUSTIÇA

 

11. Ao examinar essa passagem, quais razões se encontram nela para gloriar?

Resposta: A razão da Salvação; A garantia da graça; A esperança na glória.

 

Lição 08

Mortos Para o Pecado, Vivos em Cristo

Romanos 6.1-7


1. Que contrastes e ilustrações Paulo usa para descrever a nossa vida antes e depois de nos tornarmos cristãos?
      Resposta: Ilustrações = escravos e servos; Contraste = chefe (pecado e Deus). Antes da Conversão = escravos do Pecado (velho homem 6.6); Após a conversão = servos da Justiça (Instrumentos 6.13)


1B. Que contrastes ou ilustrações referem-se a você?
        Resposta: PESSOAL

2. Em que sentido o nosso batismo é um funeral e uma ressurreição (6.1-4)?
        Resposta:   Funeral,   representa   a   nossa   morte   para   o   mundo,   no   batismo   ela   é  representada pela imersão do corpo na água. Ressurreição, quando o corpo sai do estado de imersão faz-se menção de Cristo ter saído do estado de morto, ressuscitou vencendo a  morte!

3. Nosso “velho homem” (6.6) refere-se a tudo que éramos quando não cristãos. Quando nosso velho homem foi crucificado com Cristo, em que sentido foi o corpo do pecado destruído (6.5-7)?
        Resposta: A concepção ultrapassa a ideia de pecado como ação. O pecado, ele está  nos membros, há inclinação para o mal. Então o “destruído” do versículo, é que ele é  arruinado   e   não   aniquilado,   pois   a   sua   natureza   ainda   será   a   mesma,   ela   é   apenas  arruinada em seu domínio. A responsabilidade do crente é fazer essa natureza morrer cada  vez mais  e mais! 

4. Se o corpo do pecado foi destruído e fomos libertos do poder do pecado, por que  continuamos a pecar?
        Resposta: O pecado já foi golpeado, mas precisa ser combatido (v.12). Não é mais ele que me domina, mas ele ainda está presente na minha natureza.

5. O pecado tem domínio sobre a pessoa até à sua morte. Como Cristo nos libertou dessa tirania (6.8-11)?
        Resposta:  Ao vencer a morte e nos justificar. Nele não somos mais escravos do  pecado, logo, não precisamos viver nessa sombra e sim na luz de Cristo.

6. Se percebemos que o pecado não nos domina mais, como deveria ser a nossa vida (6.12-14)?
        Respostas: Uma vida santa, pois agora  somos servos da Justiça. O pecado que ainda   habita no cristão, exerce algum tipo de influência sobre o corpo, pois se não fosse assim a   admoestação de Paulo não seria necessária (v.13). Porém, o pecado não tem que reinar   nele; por isso Paulo expressa a sua confiança de que aqueles que estão em Cristo não permitirão que isso aconteça.

7. Leia Romanos 6.15-7.6. Paulo compara dois fatos: nossa vida antiga e nossa vida de escravos da Justiça. Por que essa analogia é apropriada em cada caso (6.15-18)?
   ATENÇÃO ESSE TRECHO REFERE-SE A 2 ANALOGIAS, PORÉM A PERGUNTA REFERE-SE 
               SOMENTE A PRIMEIRA ANALOGIA, QUE REMETE A ESCRAVIDÃO!
        Resposta: Porque quando éramos escravos do pecado o natural era ver o pecado  como ação, agora como servos da justiça se pecarmos não deixamos de ser servos, mas  essa atitude é inapropriada para a nossa posição.

8. Como a nossa escravidão a Deus difere de nossa escravidão ao pecado (6.19-23)?
        Resposta: Escravos do pecado = como viciados que precisam alimentar seu desejo  
mas tem sua vida destruída (v.21); Escravos de DEUS =  estar escravizado a Deus o resultado é a santificação e a consequência   é a vida eterna. 

9. Como se explica o princípio: “a lei tem autoridade sobre alguém apenas enquanto ele  vive” exemplificado pelo casamento?
        Resposta: Paulo afirma que, a partir do momento que há um casamento, tanto o  homem   quanto   a   mulher,   estão   debaixo   das   leis   que   regem   o   casamento   enquanto  viverem. Mesmo que haja uma separação, e um dos cônjuges venha se envolver com outra  pessoa, esse está adulterando. A única forma deste esta livre das leis do casamento é  quando o cônjuge morre.

9B. Como isso se aplica ao seu relacionamento com a Lei e com Cristo?
        Resposta: A lei moral tem sua base no caráter de Deus e é apresentada em linhas  gerais nos 10 mandamentos. Sua forma mais reduzida está nos mandamentos de Jesus  para a pessoa amar a Deus e amar ao próximo como a ele mesmo. Ela nunca foi abolida e  encontra a sua autoridade na nova aliança. Todo incrédulo está debaixo da sua exigência de perfeição e sua condenação até que vá a Cristo, e todo Cristão encontra nela o padrão  de comportamento.

10. Paulo no capítulo 6.1-7.6, usa o batismo, a escravidão e o casamento para ilustrar a  diferença entre a nossa vida antiga e a nossa nova vida. Quais são os temas comuns que  são enfatizados nesses exemplos?
        Resposta: Transformação de vida; Mudança de hábitos; Santificação.
  
11. Como a ilustração de Paulo lhe transmite segurança e o encoraja em sua luta contra o  pecado?
        Resposta: PESSOAL. Não importa o passado que você teve sem Deus, o que importa   é que em Deus você tem uma nova história, e o passado que antes te condenava, hoje é   perdoado e apagado pelo sangue de Cristo.

Artigos recentes sobre "Educação Cristã"
 

PRIMEIRA IGREJA BATISTA DA ILHA DO GOVERNADOR - Rua Gaspar de Souza, 78 - Zumbi - Tel: 21 2467-3802

Copyright 2011- - Todos os direitos reservados - Proibida reprodução do conteúdo deste site sem devida autorização

Tenha um site igual a este