Jr - 9.13 - E disse o SENHOR: Porque deixaram a minha lei, que pus perante eles, e não deram ouvidos à minha voz, nem andaram nela,


Você está aqui: Home › Matérias › Educação Cristã
13/04/2012
Romanos Lições 1-5

niciamos em 1 de abril, o estudo no livro de Romanos, na Escola Bíblica Dominical. A revista de apoio é da série Crescimento Espiritual, de Jack Kuhatschek, Shedd publicações.  Nos próximos meses, estaremos aprendendo um pouco mais deste livro e esperamos que você venha fazer parte de nossa classe de estudos. Todos os domingos, às 9 horas.

 

 

Lição 01

As Boas Novas que vêm de Deus

Romanos 1.1-17

 

1. Imagine que os versículos 1 e 5 são a única informação que você tem sobre Paulo. Relacione os aspectos que você gostaria de saber sobre ele.

Resposta: PESSOAL. Procure entender o apostolado de Paulo.

 

2. Nos versículos 1-5, Paulo fornece um resumo do evangelho para o qual ele foi separado para anunciar. O que aprendemos nesses versículos sobre o evangelho?

Resposta: Versículo 1 = que na mensagem de boas-novas há um convite; versículo 2 = o evangelho foi pré ordenado pelos profetas; versículo 3 = ele diz respeito do Filho de Deus; versículos 3 e 4 = União Hipostática (Jesus tem natureza 100% humana e 100% Divina); versículo 4 = Cristo comprova sua filiação divina na ressurreição.

 

3. O que os versículos 8-13 revelam a respeito da atitude de Paulo em relação aos romanos?

Resposta: Expressa GRATIDÃO por aqueles que o receberiam e RESPEITO pelo testemunho da igreja de Roma.

Observação: O testemunho da igreja de Roma era tão forte que em 41 d.C. O imperador Cláudio expulsou todos os judeus que era influenciados pela vida de “Crestus” – uma referência a Cristo! - por isso quando a Carta de Paulo aos romanos é escrita a igreja é em sua maioria gentílica

 

3B. Por que ele estava tão encorajado e motivado?

Resposta: Paulo vivia um período tranquilo ministerialmente, ele acabara de resolver os problemas da igreja de Corinto e está se preparando para visitar a igreja de Roma (um sonho, já que ele tinha descendência romana) e ainda estava motivado pois havia recolhido ofertas para os irmãos pobres da igreja de Jerusalém, e ele levaria as ofertas.

 

4. Por ser um apóstolo (alguém que é enviado), Paulo se sentiu obrigado a pregar o evangelho a todos (v.14). A quais pessoas você tem a grande oportunidade de pregar o evangelho?

Resposta: Paulo tinha uma obrigação para com Deus (cf. 1 Co 9.16-17) de cumprir o mandamento divino de evangelizar os gentios (Rm 1.5; At 9.15). Cada um de nós hoje temos a obrigação de anunciarmos a Cristo, a onde quer que seja, e para todo aquele ainda não é salvo e cumprir a Grande Comissão (Mt 28.18-20)

 

5. Quais são os passos para lhes anunciar o evangelho?

Resposta: 1º Mostrar a realidade do pecado – Rm 3.23; 2º As consequências da realidade do pecado – Rm. 5.12; 6.23a; 3º A solução para essas consequências que é Deus! - Rm 6.23b; João 6.14; João 3.16 e Romanos 10.9

 

6. Paulo diz que podemos estar dispostos a pregar o evangelho ou nos envergonharmos dele (v. 15,16). O que pode nos levar a ter disposição ou ficarmos envergonhados dele?

Respostas: A presença ou ausência de fé; o fato de suscitar oposição, frequentemente a insolência e as vezes a ridicularização, também levam a envergonhar-se do evangelho. Outro motivo comum hoje em dia, é por não conhecermos as escrituras e nos sentirmos incapacitados.

Observação: Paulo foi preso, perseguido, chamado de louco, entretanto ele continuava desejoso a pregar o evangelho em Roma, o centro da força política contemporânea e da religião pagã. Isso porque ele tinha certeza de que estaria cumprindo àquilo que Deus designou a Ele. Charles Studd diz assim, Se Jesus morreu por no meu lugar, então não é há sacrifício nenhum e vergonha nenhuma grande demais que eu o faça por ele.

 

7. No versículo 16, Paulo descreve evangelho como “o poder de Deus” para a salvação. Como você tem visto esse poder demonstrado em sua vida ou na vida de outros?

Resposta: PESSOAL

Observação – A palavra poder no grego dinamis (Δυναμις) é a mesma que deriva para dinamite. Intensidade de força. Embora a mensagem possa soar como loucura para alguns (1 Co 1.18) o evangelho é efetivo porque carrega em si a Onipotência de Deus. Somente o Poder de Deus é capaz de dominar a natureza pecaminosa do homem e dar a ele uma nova vida.

 

8. Martinho Lutero escreveu que o versículo 17 tornou-se para ele o “caminho para o céu”. O que é tão significativo nas ideias desse versículo?

Resposta: Que NENHUMA pessoa é declarada justa diante de Deus sem ser pela fé! Fé, é o caminho de Deus justificar o homem – Efésios 2.8-9.

 

9. Qual é a sua opinião sobre o significado de “viver pela fé” (v.17)?

Resposta: Viver pela fé, não é um acontecimento único na vida do cristão, é um estilo de vida, algo permanente, denominada pela perseverança dos santos. Não importa o que aconteça a fé salvadora não pode ser destruída.

 

10. Em quais áreas você se esforça para viver pela fé?

Resposta: PESSOAL

Observação – quando dizemos que confiamos em Deus e não confiamos nisto pecamos, pois a nossa atitude mostra que pensamos que Deus não é capaz, mesmo que isso não seja dito com palavras, é demonstrado nas ações.

 

Lição 02

A ira de Deus contra a humanidade

Romanos 1.18-32

 

1. Segundo os versículos 18-32, quais são as razões da ira de Deus ser revelada?

Resposta: Versículo 18 – a verdade foi detida; versículo 21 – aqueles que conheceram a Verdade não glorificaram a Deus; versículo 23 – além de não terem o glorificado, adoraram criatura em lugar do Criador.

Observação: Pecado é blasfêmia contra Deus – João 3.36

 

2. Quais perguntas ou sentimentos você tem quando lê a respeito da ira de Deus no versículo 18?

Resposta: Pessoal

Observação: A ira de Deus não se trata de uma explosão impulsiva de raiva voltada de maneira caprichosa, às pessoas que Deus não gosta. A ira de Deus é a resposta certa e determinada de um Deus justo ao pecado.

 

3. O que a humanidade conhece sobre Deus segundo os versículos 19 e 20?

Resposta: Sabe que Deus se manifesta na natureza, tem eterno poder e é Divino.

3b. Como a humanidade conhece esses fatos?

Resposta: Salmo 19.1-6 – através da Criação

 

4. Como as pessoas reagem ao conhecimento que elas possuem de Deus (v.18-21)?

Resposta: Elas não glorificaram a Deus e nem lhe deram graças – A finalidade do homem é glorificar a Deus!

 

5. Os versículos 21-32 descrevem a queda vertiginosa da humanidade no pecado. Como você resumiria cada nível de corrupção?

Resposta: vs. 21-23 = idolatria; v.24 = impureza (vida devassa); v.25 = o padrão não é a verdade de Deus; vs.26-27 = pecado sexual e homo afetividade; v.28 a 31 = mentes depravadas, vida inclinada para maquinar o mal

 

5b. Como pode cada nível levar a outro?

Resposta: As pessoas de quem Paulo está falando aqui, são pessoas que não estão na ignorância sobre Deus, mas sim vivem numa rebelião contra Deus, uma prática aberta, clara, ao pecado. Quanto mais pecado comete, mas esse domina o ser, o levando a uma vida abominável perante Deus! “Quem rejeita ao Filho, a Ira de Deus sobre Ele permanece” (João 3.36b)

 

6. Que evidência você observa nessa degradação moral hoje?

Resposta: Corrupção; homo afetividade; idolatria (a imagens, ao corpo, a bens materiais)

 

7. É comum se penar primordialmente na ira de Deus em termos de julgamento futuro. Mas o versículo 18 afirma que a ira de Deus é, agora, revelada. Como esse evento ocorre nos versículos 24-32?

Respostas: A ira de Deus pode entregar essas pessoas a serem piores do que já são; doenças podem resultar dessa ira; catástrofes naturais.

 

8. Você considera que os versículos 18-32 refutam a noção de que as pessoas são essencialmente boas? Explique.

Resposta: Sim, refuta. O homem não é essencialmente bom, quando Deus criou Adão e Eva eles foram criados essencialmente bons mas em Gênesis 3 vemos que eles foram corrompidos pelo pecado, desde então nenhum ser humano é essencialmente bom, pois todos já estão corrompidos pelo pecado, sendo assim não possuem uma natureza essencialmente boa.

A lógica não é, somos bons, conhecemos o pecado e nos deturpamos, e sim, somos maus, conhecemos a Deus, uns rejeitam e continuam maus, outros o aceitam e lutam diariamente contra o pecado que habita em sua carne, buscando assim uma vida de santidade.

 

9. As pessoas frequentemente levantam a questão de como Deus poderia condenar àqueles que nunca ouviram falar a seu respeito. Como essa passagem trata essa questão.

Resposta: A passagem mostra que mesmo que essas pessoas não tenham ouvido falar sobre Deus elas podem o ver e conhecer através da natureza, pois ele se manifesta nesta. Logo, essas pessoas não são ignorantes.

O raciocínio se baseia em, a natureza para existir precisou ser criada, com isso precisa-se de um criador, esse criador tem que ser auto existente, pois se Ele fosse criado por algo ou alguém se tornaria criatura, e teria suas limitações, pois nenhuma criatura consegue criar algo maior que seu raciocínio e capacidade. Com isso, temos que O Criador, tem que ser auto existente, infinito, poderoso, soberano, … , Deus!

E por ser Deus, soberano, Ele conhece o coração de quem ele julga, somos todos condenáveis e indesculpáveis. Mas pela graça somos salvos.

Observação: O texto não trata de salvação, a salvação vem pela fé e a fé vem pelo ouvir da Palavra de Deus. O texto fala sobre revelação geral, conhecer a Deus.

 

10. Como essa passagem pode fazer com que você sinta menos vergonha do evangelho e mais disposto a pregá-lo?.

Resposta: Pessoal. Essa passagem deve nos motivar a mostrar àqueles que estão ignorando a Verdade, a possibilidade de um novo começo com Deus. Apesar da natureza mostrar Deus é preciso falar de Cristo e enfocar que todos podem ter uma relação pessoal com Deus.

 

Lição 03

O Justo Juízo de Deus

Romanos 2

 

1. Nesta passagem, Paulo argumenta com um opositor imaginário. Quais são as suposições e atitudes do oponente?

Resposta: As suposições são: Justo; livre de condenação por não terem cedido ao excesso. As atitudes são: exteriormente virtuosas, “mestres”, “sábios”, as práticas não andam de acordo com o ensino.

Cf. 2.1, 3, 5, 19-23

 

2. Quando as pessoas julgam os outros, como elas revelam ter uma boa compreensão e uma má compreensão do julgamento de Deus?

Resposta: Se alguém tem conhecimento suficiente para julgar a outro, ele condena a si mesmo, pois demonstra ter conhecimento para avaliar a sua própria condição.

A auto justiça existe devido a dois erros fatais: (1) desprezo pelo padrão moral de Deus, em geral pelo fato de enfatizar a aparência exterior; (2) A subestimação da intensidade de seus próprios pecados.

 

3. Explique por que a bondade de Deus pode levar as pessoas a se arrepender ou se tornar presunçosas (v.4)

Resposta: Para o arrependimento – produz no cristão o desejo de deixar o pecado e restaurar seu relacionamento com Deus. Presunçosos – desprezo = tem uma baixa opinião e deste modo subestima o valor e até mesmo trata com desdém.

 

4. Os versículos 5-16 descrevem um dia futuro de julgamento. O que Deus há de considerar importante ou irrelevante nesse dia?

Resposta: Que o Juízo será segundo o procedimento (v.6) e segundo o entendimento (v.12)

 

5. Como são os padrões de julgamento de Deus: semelhantes ou diferentes para os dois grupos descritos nos versículos 12-16?

Resposta: Diferentes no rigor do julgamento. PECARAM SEM LEI – serão julgados pela sua desobediência de acordo com seu limitado conhecimento. MEDIANTE A LEI – será cobrado pelo seu maior conhecimento. Mateus 11.20-23

Observação: O julgamento de Deus é justo, pois a Lei de Deus está gravada no coração de todo ser humano. Isso é direito natural e supra cultural (v.14), com isso mesmo os que não são conhecedores da Lei, um pouquinho de Lei tem! Por que a Lei não desperta no homem? Porque a humanidade está corrompida!

 

6. Muitos não cristãos têm altos padrões morais. Como podemos usar seus próprios padrões para ajudá-los a perceber a necessidade que tem de Cristo?

Respostas: Devemos em amor mostrar que por mais bondosos que eles sejam, ainda assim não são perfeitos em suas ações. A salvação pela lei só existe se houver perfeição da obediência a Lei(vs 7 e 13). Problema: o homem não é capaz de ser perfeito em suas ações. Solução: Imputação! A Justiça tem que ser imputada a mim.

Reflita em Mateus 6.12. O Senhor nos perdoa na mesma medida em que perdoamos aqueles que nos ofendem.

7. Nos versículos 17-29, Paulo concentra sua atenção em um tipo hipócrita de judeu. Como esse hipócrita se enxerga e como vê aos outros (v.17-20)?

Resposta: Por possuírem a Lei, os judeus estavam certos de que eram mestres espirituais superiores; guia de cegos pagãos; luz; sábios nas coisas de Deus e capazes de ensinar crianças. Para eles quem não era judeu era cego ou criança.

Observação: O maior problema, foi a grande herança dos judeus (Gn 12.3), tornou-se fonte de orgulho e complacência que leva ao juízo em vez de “louvor”.

 

8. Por que os não judeus insultam o nome de Deus devido ao comportamento do povo judeu (v.21 e 24)?

Resposta: A blasfêmia contra Deus resultou da hipocrisia dos judeus em de não aplicarem a si mesmos os padrões de Deus que eles conheciam e ensinavam a outros.

 

9. Como a hipocrisia religiosa interfere negativamente na pregação do evangelho de Cristo em nossos dias?

Resposta: Da mesma forma que interferia no passado. O mau testemunho tira o crédito do evangelho para o incrédulo.

 

10. Os judeus davam grande valor à circuncisão porque significava um sinal visível de que eram povo de Deus. Como eles confundiram o sinal com o significado da circuncisão (v.25 -29)?

Resposta: A circuncisão era um ato de obediência e um lembrete do relacionamento de aliança que eles tinham com Deus. O rito exterior só tem valor quando reflete a realidade interior de um coração separado do pecado para Deus, Dt 10.16. Eles confundiram achando-se salvos devido ao cumprimento do rito.

Observação: Paulo falará da circuncisão de coração, que deve ser um sinal da Aliança com Deus feita na alma da pessoa convertida. A conversão deve gerar transformação. Conversão sem transformação é conhecer mas não aceitar.

Para a Calvino, a circuncisão era um corte na genital masculina pois ela é quem passa a natureza pecaminosa de pai para filho, então a circuncisão no coração é um corta na natureza pecaminosa.

1Co7.19; Dt10.16; G6.15; Fl3.3; Cl2.11

 

11. Como as pessoas religiosas podem, nos dias de hoje, ter um entendimento equivocado do batismo ou de outros rituais e práticas?

Resposta: A salvação não depende da observância de ritos religiosos. Depende da transformação do coração. O equivoco está em crer que esses ritos que garantem a salvação.

 

12. Como este capítulo pode ajudar a você a pregar o evangelho mais eficazmente aos não cristãos respeitáveis, religiosos ou éticos que você conhece?

Resposta: Pessoal.

Observação: Esse capítulo deve me impulsionar a pregar o evangelho aos não cristãos respeitáveis, religiosos e/ou éticos, pois me mostra que eles também necessitam da graça de Deus e estes também estão condenados ao juízo de Deus.

 

Lição 04

O Veredicto

Romanos 3.1-20

 

1. Cite algumas das bênçãos espirituais de ser judeu?

Resposta: V.2 – foram confiadas os oráculos (Lei) de Deus; Povo escolhido e separado; Romanos 9.4-5

 

2. Que bênçãos Deus têm lhe concedido?

Resposta: Apesar da incredulidade os privilégios da Aliança ainda pertence a eles, pois Deus é fiel. Dando proteção divina e certeza do cumprimento das promessas a eles.

 

3. Por que alguns acusaram a Deus de ser infiel e injusto (v.3-8)?

Resposta: Pelo fato do pecado realçar a Santidade de Deus (v.5).

 

3B. Como Paulo respondeu a essas acusações?

Resposta: Paulo responde realçando a pecaminosidade humana, Rm 3.10-18

 

4. Desempenhando o papel de promotor público, Paulo acusou os judeus de viverem sob o pecado e também gentios (v.9). Como a Escritura confirma a acusação de Paulo (v.10-18)?

Resposta: Salmo 5.9; 14.1-3; 36.1; 53.1-3; Eclesiastes 7.20; Isaías 53.6; 59.7-8

 

5. Como a linguagem figurada dos versículos 13-18 ilustra vividamente nossa condição como humanidade caída?

Resposta: Paulo mostra a universalidade do pecado e a rebelião humana.

Vs.13, 14 = corrupção do coração

vs. 15, 16 = destruidor (o homem tem inclinação para a destruição)

V. 17 = tendência para o antagonismo e o conflito

V. 18 = ausência de uma adequada submissão a Deus

CONDIÇÃO = DEPRAVADOS

 

6. Como você conciliaria s afirmações dos versículos 10-18, com o fato de que alguns NÃO cristãos parecem buscar a Deus?

Respostas: 1º- devemos ter em mente que esse texto descreve o homem, decaído, sem a graça, hoje em nosso meio, os não cristão já ouviram um pouco, pelo menos, da graça.

2º – para essa resposta temos 2 posições teológicas que podem ser consideradas.

Martinho Lutero X João Calvino

  •  
    •  
      • João Calvino = “Quando Adão caiu de seu estado original, não há a mínima dúvida de que, por esta defecção, ele veio a alienar-se de Deus. Portanto, embora concordemos que a imagem de Deus não foi nele aniquilada e apagada de todo, todavia foi corrompida a tal ponto que, qualquer coisa que lhe reste, não passa de horrenda deformidade” (Institutas, I.15.4) – Sendo assim, para Calvino, o Não Cristão pode buscar a Deus, porque dentro dele a capacidade espirital, corrompida, mas não aniquilada. E ele busca restaurar essa capacidade.

      • Martinho Lutero = Para Lutero, o homem era imagem semelhança de DEUS antes da queda, após a queda houve aniquilação dessa imagem, logo, para ele o não cristão, não busca a Deus, busca apenas uma resposta a tudo o que vê. E ainda busca algo que justifique o significado da vida, mas essa busca não é a Deus!

      • Observação: Muitos não cristãos usam o “evangeliquês” sem crer ou entender verdadeiramente nas palavras utilizadas.

 

 

7. Imagine a cena em um tribunal: Deus como juiz e um mundo sendo julgado. Do que você aprendeu em Rm 1.18-3.20, resuma as acusações que pesam contra nós, as evidências que as apoiam e o veredicto?

Resposta: ACUSAÇÕES = Oposição a Verdade e apego ao pecado (1.18s); Não glorificam a Deus (1.21); Racionalizar o pecado (1.22); Idolatria (1.23ss); Julgamento alheio (2.1); Negligência do próprio pecado (2.3); Dureza de coração (2.5s); Hipocrisia (2.17-24).

EVIDÊNCIAS = Ira de Deus presente para os rebeldes (1.24-32); O Nome de Deus é blasfemado entre os não cristãos devido ao mal testemunho (2.24).

O VEREDICTO = Não há nenhum justo se quer (3.10); Todos estão condenados (3.19,20)

 

7B. De acordo com o versículo 20, a lei de Deus não nos torna justos, mas pelo contrário, expõe o nosso pecado. Como a Lei teve esse impacto em sua vida?

Resposta: Pessoal.

Observação: A Lei de Deus, expõe o pecado, porque ela desperta o desejo de corrompê-la, pois o homem é corrompido. Onde existem muitas ordem, despertam as desordens.

 

8. Paulo não discute a graça de Deus (3.21-5.21) até que tenha discutido o julgamento de Deus (1.18-3.20). Por quê?

Resposta: 1º. Paulo decide mostrar a condição deplorável da humanidade, chamar atenção para essa condição; 2º. Todos estão sob o pecado e todos os homens podem ser justos diante de Deus; 3º. Ele diz como esse homem deplorável pode comparecer justo diante de Deus (pela fé).

 

9. Como o exemplo de Paulo deveria afetar o nosso evangelismo?

Resposta: Pessoal

Observação: Devemos falar do pecado e das suas consequências quando evangelizamos para depois falarmos da justificação (graça).

 

 

Lição 05

A Justiça de Deus Mediante a Fé

Romanos 3.21-31

 

1. Como você descreveria a ênfase dessa passagem?

Resposta: 1º - Paulo explica o processo divino de justificação;

2º -Sua apresentação é independente da Lei e, no entanto, é atestada por ela, sendo para todos os que creem.

“A Justificação universalmente disponível de Deus é a concessão de uma posição perfeita perante Deus com base na propiciação de Cristo, recebida pela fé de acordo com a Lei” (COP – Foco e Desenvolvimento, NT, 240)

 

2. Como a Justiça de Deus (3.21-24) é diferente da justiça da Lei (2.5-13)?

Resposta: A Justiça de Deus é pela fé e é concedida gratuitamente por sua misericórdia e graça, sem merecimento. Ser Justo pela Lei só é possível mediante a perfeição da obediência a Lei.

 

3. Nos versículos 24 e 25, Paulo usa três palavras importantes para descrever o que Cristo fez por nós. A palavra justificado (v.24) é tomada emprestada da linguagem forense. O juiz declara que a pessoa sob julgamento não tem acusações formais contra si. Tendo em mente o contexto de Romanos 1.18-3.20, explique por que nossa justificação se torna extraordinária?

Resposta: Porque Deus imputou o pecado do ser humano na conta de Cristo na sua morte sacrificial (1 Pe2.24) e imputou obediência perfeita à Lei de Deus por Cristo aos cristãos (2 Co 5.21). O pecador recebe esse dom da graça de Deus apenas pela fé.

OBSERVAÇÃO: “Foi na Cruz, foi na cruz onde um dia eu vi MEU PECADO CASTIGADO EM JESUS...”.

 

4. Como a nossa completa aceitação por Deus deveria afetar a forma que nos vemos?

Resposta: Deveria gerar quebrantamento diário. Vergonha por agredirmos a santidade de Deus. Porque toda vez que pecamos, escarramos na Cruz de Cristo, temos atos porcos! A gratuidade da nossa salvação teve um alto custo para Deus, não devemos, por isso, baratear a salvação. O preço foi preço de sangue.

 

5. A palavra redenção (v.24) é tomada emprestada da linguagem usada no mercado escravagista. Significa “pagar pela liberdade de um escravo”. De quais tipos de escravidão Cristo nos libertou?

Resposta: Escravidão do pecado e Escravidão da Lei.

 

6. A frase sacrifício de propiciação (v.25) é derivada do Antigo Testamento. Os sacrifícios de animais desviavam a ira de Deus do pecador. Por que a morte de Cristo desvia a ira de Deus de nós?

Respostas: Porque a morte cruel satisfez a Santidade ofendida e a ira de Deus contra aqueles pelos quais Cristo morreu (Is 53.11). DEUS EXIGIU UM PAGAMENTO E CRISTO CUMPRIU A EXIGÊNCIA, AGORA DEUS ESTÁ SATISFEITO. FOI PROPÍCIO

 

6B. Como devemos reagir emocionalmente e espiritualmente ao fato de que Jesus experimentou a ira de Deus em nosso lugar?

Resposta: Devemos ser gratos a Deus, e devemos demonstrar essa gratidão através de:

  • Adoração – Êxodo 12.27;

  • Humildade – Salmo149.4; Mt 5.3; Efésios 4.1-2; Fl 2.3; Tg 4.6; 1 Pe3.8

  • Serviço Cristão – Jo12.26; Romanos6.22; Gálatas 5.13

  • Coração Quebrantado – Sl 34.18

  • Buscar ser Santo – 1Pe.1.15-16

 

7. Algumas pessoas consideram difícil entender como Deus pode ser perfeitamente justo e justificador ao mesmo tempo. Como a justiça e a justificação de Deus se conciliam na cruz (v.25 e 26)?

Resposta: Justiça = De que maneira a Justiça de Deus aparece na cruz de Cristo? QUANDO PUNE O PECADO. Justificação = De que maneira a Justificação dada por Deus aparece na cruz de Cristo? QUANDO A JUSTIFICAÇÃO É APLICADA A QUEM CRER, TORNANDO-O JUSTO.

 

8. Como nos vangloriarmos nos induz a um entendimento errado do evangelho?

Resposta: A fé não deixa espaço para a vanglória humana – 1Coríntios 1.26-29.

 

9. De vez em quando, você sente que Deus não pode aceitá-lo como você é? Explique

Resposta: Pessoal

Observação: Essa é uma reação normal diante de um sentimento de vergonha. Mas lembre-se, Deus perdoa! Deus não se cansa de seus recomeços! Deus ama o pecador arrependido!

 

10. Como você se sentiria ou se comportaria se compreendesse melhor o que Jesus fez por você?

Resposta: Pessoal

Observação: A cruz deveria nos encher de alegria e gratidão pelo Deus que nos ama e nos deu o seu único Filho. Tal fato deveria ter um profundo efeito em nossa atitude diante do pecado como Paulo enfatiza mais tarde

 

 

 

Artigos recentes sobre "Educação Cristã"
 

PRIMEIRA IGREJA BATISTA DA ILHA DO GOVERNADOR - Rua Gaspar de Souza, 78 - Zumbi - Tel: 21 2467-3802

Copyright 2011- - Todos os direitos reservados - Proibida reprodução do conteúdo deste site sem devida autorização

Tenha um site igual a este